Esporte NOTÍCIAS

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

ESSE É NOSSO BRASIL...Em prisão domiciliar, auditores conseguem férias

Réus da quarta fase da Publicano, o auditor Márcio de Albuquerque Lima e o empresário Kouchi Yui foram autorizados a passar uma temporada no Rio


O juiz da 3ª Vara Criminal de Londrina, Juliano Nanuncio, autorizou auditores fiscais e réus da quarta fase do Operação Publicano, que apura a ação de uma organização criminosa na Receita Estadual de Londrina, a fazerem viagens de férias.
Alguns deles, como o auditor Márcio de Albuquerque Lima, apontado como líder do esquema de cobrança de propina, e o empresário Kouchi Yui, que teria intermediado um acordo de corrupção, estão em prisão domiciliar determinada pelo Tribunal de Justiça (TJ) do Paraná, mas foram autorizados a passaram uma temporada de férias no Rio de Janeiro. O mesmo benefício foi concedido à auditora Ana Paula Pelizari Marques de Lima, mulher de Márcio de Albuquerque. Ela, porém, teve a prisão preventiva revogada pelo TJ, embora haja contra ela medidas restritivas alternativas à prisão. 
Em razão disso, o promotor Renato de Lima Castro, que está plantão durante o recesso forense, fez pedido de providências ao TJ para "que se restabeleça o comando das decisões do Tribunal de Justiça que colocou auditores em prisão domiciliar". "Eles estão presos e preso não tira férias", apontou Castro, que atua na Defesa do Patrimônio Público e em colaboração com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), responsável pelas investigações da Publicano. 
Também fizeram pedidos de viagens de férias ou participação em festas, como formaturas, e obtiveram decisão favorável de Nanuncio os auditores Paulo Sérgio Quaresma (Rio de Janeiro); Nelson Mandelli (Balneário Camboriú, SC); Amadeu Serapião (Florestópolis, PR); Antonio Carlos Lovato (Marília e Campinas – SP); Amado Batista Luiz(litoral paranaense); José Aparecido Valêncio (Caldas Novas, GO); Ricardo de Freitas (Balneário Camboriú e Avaré, SP); o advogado Luiz Lopes Barreto (Gauraci, PR); e o particular Júlio Camargo, que se passava por auditor (Florianópolis). Camargo, Barreto, Freitas, Quaresma e Luiz também estão em prisão domiciliar. 
A decisão de converter a preventiva – decretada no começo do mês por Nanuncio – em prisão domiciliar foi do juiz substituto em 2º grau Marcel Guimarães Rotoli de Macedo, da 2ª Câmara Criminal do TJ. Ele entendeu que caberia, no caso de alguns auditores, a prisão domiciliar – seria suficiente para garantir que os réus não atrapalhassem as investigações. No caso de outros auditores, o magistrado entendeu que não havia fatos novos na Publicano 4 e, portanto, revogou a prisão, fazendo prevalecer habeas corpus que eles já haviam obtido no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Na quarta fase da Publicano, 47 tiveram a prisão decretada e 110 foram denunciados.
Folha Web

Nenhum comentário:

LÍDER Vídeos | CURIÚVA e SCPAVÃO

Loading...

AS 10 + TOCADAS na LÍDER FM

AS 10 + TOCADAS na LÍDER FM

TÓP LÍDER

01 - Simone e Simaria - Loka - Part - Anitta
02 - Gusttavo Lima - Homem de Família
03 - Henrique & Juliano - Vidinha de Balada
04 - Wesley Safadão - Ninguém é de Ferro - Part - Marília Mendonça
05 - Marilia Mendonca - Eu Sei De Cor
06 - Felipe Araújo - A Mala é Falsa - Part - Henrique & Juliano
07 - Roberto Carlos - Chegaste - Part - Jennifer Lopez
08 - Michel Teló - O Mar Parou
09 - Gustavo Mioto - Impressionando os Anjos
10 - Maiara e Maraisa - Você Faz Falta Aqui
11 - Matheus e Kauan - Te Assumi Pro Brasil
12 - Luan Santana - Acordando o Prédio

Atualizado em 24 de Março de 2017